Notícias

08/12/2018 - Noticias
Sinais de rádio de Saturno confundem cientistas
por POR: NATASHA ROMANZOTI

 

Saturno acabou de ficar ainda mais estranho. A sonda Cassini, da NASA, descobriu recentemente que os sinais de onda de rádio vindos do planeta são diferentes nos hemisférios norte e sul, uma divisão que pode afetar a forma como os cientistas medem o comprimento do dia do planeta.

Saturno emite ondas de rádio naturais, conhecidas como radiações quilométricas de Saturno (RQS). Embora essas ondas sejam inaudíveis aos ouvidos humanos, para a sonda Cassini elas soam como rajadas de uma sirene de ataque aéreo, e variam de acordo com cada rotação do planeta.

Os pesquisadores pensavam que compreendiam esses padrões de ondas de rádio do planeta, uma vez que em Júpiter eles eram tão simples. Com os novos dados, entretanto, os cientistas perceberam que as emissões de rádio de Saturno são muito diferentes.

Os cientistas converteram as diferentes emissões de ondas de rádio do planeta para a faixa de áudio humana.

 

E tem mais: esses números mudam novamente conforme estações. Em dezembro, um estudo utilizou dados da sonda Cassini para mostrar que o período do sul diminuiu de forma constante, e o do norte aumentou, com os dois finalmente convergindo em torno de 10,67 horas em março passado.

Isso aconteceu sete meses depois do equinócio de primavera de Saturno, em agosto de 2009, quando o sol brilhava diretamente sobre o equador do planeta. Desde então, o padrão tem sido contínuo, com o período das emissões RQS sul diminuindo e as do norte aumentando.

Depois de muita análise, os cientistas concluíram que as variações de emissão de rádio realmente diferem de um hemisfério para outro. E esse comportamento estranho muda dentro de um ano de equinócios.

Então, o que está acontecendo? Os cientistas não acreditam que as diferenças nos períodos de ondas de rádio têm a ver com os hemisférios estarem realmente girando em velocidades diferentes. Mais provavelmente, as mudanças são causadas por variações de ventos de alta altitude nos hemisférios norte e sul. O comportamento da magnetosfera de Saturno (a bolha magnética que circunda o planeta inteiro) também pode ter um impacto.

Em outro estudo, pesquisadores descobriram que as auroras norte e sul – espetáculos de luz causados pela interação do vento solar com o campo magnético de Saturno – vacilaram para frente e para trás em latitude em um padrão correspondente às variações RQS.

Ainda outra pesquisa mostrou que o campo magnético de Saturno acima dos dois pólos varia no tempo com as auroras e as emissões de ondas de rádio.

A chuva de elétrons na atmosfera, que produz as auroras, também produz as emissões de rádio e afeta o campo magnético do planeta. Assim, os cientistas pensam que todas essas variações vistas são relacionadas à influência do sol sobre o planeta. 

POR: NATASHA ROMANZOTI

  • (31) 3309-1721
© 2016 LABRE-MG - Todos os direitos reservados