Notícias

27/05/2019 - Noticias
Starlink: Veja um trem de satélites cruzando céu noturno!...
por Apollo11-NASA / Tradução - adaptação de PY4SM - Marcus

 

Na noite de quinta-feira, 23 de maio, a empresa SpaceX lançou de uma só vez nada menos de 60 satélites. Os artefatos estão cruzando o céu praticamente juntos, formando uma espécie de "trem luminoso" que pode ser visto a olho nu nas noites mais escuras.

Frame de vídeo capturado pelo astrônomo amador Marco Langbroek mostra o trem de satélites passando sobre Leiden, na Holanda, em 24 de maio de 2019.

Frame de vídeo capturado pelo astrônomo amador Marco Langbroek mostra o trem de satélites passando sobre Leiden, na Holanda, em 24 de maio de 2019.

O trem de satélites, chamado oficialmente de "Mega constelação Starlink", é composto neste momento por 60 artefatos. No entanto, o objetivo da SpaceX é colocar em orbita 12 mil unidades com a finalidade de criar a maior rede mundial provedora de internet via satélite.

Os objetos estão em orbita circular ao redor do planeta, a uma altitude de 445 km. Por estarem em orbita baixa e orbitando praticamente juntos, para um observador situado na Terra a impressão que se tem é que um "trem" de pontos luminosos está se deslocando no firmamento noturno, refletindo a luz do Sol.

 RASTREIE O TREM STARLINK

A olho nu, os 60 satélite brilham entre as magnitudes 4 e 5, o que significa que são pontos bem pálidos no céu, lembrando que teoricamente o limite da visão humana é de 6 magnitudes (quanto maior o número, menos brilhante é o objeto).

Atualmente, o tamanho do "trem" é de cerca de 8 graus angulares, o que equivale ao tamanho do punho apontado para o céu, mas deverá se alargar à medida que o tempo passa.

Neste momento a orbita é de 445 km, mas deverá se elevar para 550 km quando estiverem em operação. Quando isso acontecer o brilho também ficará mais esmaecido e mais difícil será a observação.


Como ver o trem Starlink
Para ver o "trem Starlink" ou qualquer outro satélite, é necessário que a luz do sol atinja sua estrutura e seja refletida até nossos olhos. Para que isso aconteça é preciso que os seguintes fatores estejam ocorrendo ao mesmo tempo:

1 - Céu escuro: deve ser noite no local da observação
2 - Altura do Sol: o disco solar deve estar entre 10 e 25 graus abaixo da linha do horizonte
3 - Satélite iluminado: os raios de Sol devem estar atingindo diretamente o satélite
4 - Ângulo de elevação: o satélite deve estar pelo menos 25 graus acima do horizonte

Quando estas quatro condições forem satisfeitas dizemos que o satélite estará potencialmente visível quando da sua passagem por nossa localidade.

Isso significa que tecnicamente poderá ser visto mas outros fatores poderão influenciar em sua observação, entre eles a altitude e o tamanho do satélite, seu material de revestimento e as condições atmosféricas no local da observação.

RASTREIE O TREM STARLINK

Em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo, o trem poderá ser visto nos dias 30 de maio e 1 de junho, antes do Sol nascer.

É importante lembrar que o "trem" apresenta baixa luminosidade. Assim, uma boa ideia é observar o céu em local bem escuro, longe de luzes fortes e se possível usar um binóculo de baixa amplificação, o que permitirá ver objetos mais tênues.

Bons céus!

 

  • (31) 3309-1721
© 2016 LABRE-MG - Todos os direitos reservados